O Inter de Abel, a um ponto do São Paulo, pronto para a guerra

O Inter de Abel vive o melhor momento. Com um ponto atrás, será guerra contra o São Paulo

O Inter de Abel vive o melhor momento. Com um ponto atrás, será guerra contra o São Paulo
Ricardo Duarte/Internacional

São Paulo, Brasil

Dia 26 de dezembro.

O líder São Paulo venceu o Fluminense por 2 a 1, no Maracanã, e terminou 2020 com sete pontos de vantagem sobre o Atlético Mineiro.

18 de janeiro.

O São Paulo não conseguiu vencer no Brasileiro, em 2021. De nove pontos, perdeu oito. Foi derrotado por Red Bull Bragantino e Santos. Empatou a duras penas, com o Athletico Paranaense em 1 a 1.

O Internacional, de Abel Braga, vence o Ceará por 4 a 2. Chegou à sexta vitória seguida.

E a diferença para o líder São Paulo caiu para apenas um ponto.

Na quarta-feira, os dois times se enfrentam no Morumbi.

Seriamente pressionado, Fernando Diniz vê o repertório de seu elenco chegar ao limite.

Uma derrota e o São Paulo pode perder a liderança a sete jogos do Brasileiro terminar.

Decisão tem sido todos os jogos no campeonato, você vai somando ponto para poder ser campeão. É assim que encaramos desde que começou. Vamos encarar, assim como hoje também. Mas não vai terminar o campeonato na quarta-feira, qualquer que seja o resultado”, disse Fernando Diniz, em Curitiba, transpirando insegurança.

Ele já sabe que nunca foi unanimidade na nova administração do São Paulo. Estivesse Rogério Ceni disponível, e não no Flamengo, Diniz não seria mais o treinador no Morumbi.

As eliminações do Paulista, da Libertadores, Conmebol, Copa do Brasil, Sul-Americana não foram esquecidas. O técnico já abusou do direito de perder.

Agora esta decadência na reta final do Brasileiro está preocupando demais o presidente Julio Casares, que fez questão de ir para o Paraná acompanhar o jogo de ontem.

E viu o péssimo futebol do São Paulo.

“Vitórias consecutivas dão confiança, mas não tiramos o pé do chão. Vamos tentar esticar a corda até onde dá”, avisou Abel Braga, empolgadíssimo com a sexta vitória consecutiva.

O treinador de 68 anos conseguiu um feito inédito no Brasileiro de 2020, mas que já havia feito em 2006, com o próprio Internacional. Conseguir seis vitórias consecutivas.

O elenco está empolgadíssimo, esbanjando competitividade.

Abel quer fazer história no Internacional.

Conquistar o Brasileiro, algo que o clube não consegue desde 1979.

E depois seguir sua carreira.

A direção do clube já está apalavrada com o espanhol Miguel Ángel Ramírez, ex-treinador do Independiente del Valle.

Essa mistura de desprezo e raiva empurra o trabalho de Abel, que ficará no clube até o final do Brasileiro.

Ganhar o título e virar as costas à diretoria que o preteriu tem motivado o técnico.

Dentro do campo, o Internacional seguiu mostrando futebol competitivo, de muita luta. A técnica fica em segundo plano. Não é por acaso de D’Alessandro foi embora. Nem para a reserva ficou.

Abel montou uma equipe de jogadores fortíssimos fisicamente.

E de muita vibração.

O resultado chega a ser impressionante pela competitividade.

Será assim, pronto para lutar que o Internacional virá ao Morumbi.

Atlético Mineiro também se recuperou no Brasileiro. Ganhou do Atlético Goianiense, ontem

Atlético Mineiro também se recuperou no Brasileiro. Ganhou do Atlético Goianiense, ontem
Reprodução/TV Galo

Justo quando o São Paulo vive péssimo momento.

E não terá Arboleda, sem melhor zagueiro pelo alto, suspenso.

O Internacional é especialista em cruzamentos para a área adversária.

Um ponto separa os dois times.

Mas mentalmente, o Internacional está muito mais forte.

A cúpula do São Paulo se mostra muito preocupada.

Por ver a vantagem de sete pontos cair para um.

E o time jogando pior, cada vez mais tenso.

Uma caricatura do time que deu a arrancada que o levou à liderança.

Está no seu pior momento no campeonato.

E enfrenta o vice líder na melhor fase.

Enquanto isso, o Atlético Mineiro chega a 53 pontos, está a quatro pontos do São Paulo, uma partida a menos. E com tabela bem mais fácil.

O medo de perder o Brasileiro, que a cúpula do clube considerava ganho, é real.

Mas os sete pontos de vantagem se desmancharam.

Para desespero de Fernando Diniz…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *