‘Mentira! Não pedi demissão. Sei o que esperam do Atlético.” Cuca

"Não me interessa se custou R$ 200 milhões. Estou formando um time, uma família." Cuca

“Não me interessa se custou R$ 200 milhões. Estou formando um time, uma família.” Cuca
Atlético Mineiro

São Paulo, Brasil

Ele é o técnico mais pressionado do Brasil.

Assumiu um time de mais de R$ 180 milhões, montado por um mecenas bilionário, para ganhar a Libertadores ou o Brasileiro. 

Com jogadores importantes, algumas estrelas internacionais. E que foram escolhidos por Jorge Sampaoli, para atuar em um esquema completamente diferente dos que costuma utilizar.

Em 47 dias de trabalho, lidera o Mineiro e apenas estreou na Libertadores, empatando fora de casa, com o venezuelano La Guaira.

E ontem já circulou boatos em Belo Horizonte que havia pedido demissão. E em um tapume em frente à obra da arena que o clube constrói, já surgiu a pichação que foi divulgada em todos os portais.

“Fora Cuca.”

E o treinador de 57 anos decidiu falar.

Expor o que está acontecendo no Atlético Mineiro, clube que ele ganhou a Libertadores em 2013.

De maneira clara, direta, deu uma entrevista exclusiva ao blog.

“Mentira esse boato de demissão.

“Nem sei a intenção de quem cria esses situações.

“Não me importa se os jogadores custaram R$ 180 milhões, R$ 200 milhões. Estou montando um time, uma família, onde todos, estrelas ou não, se entreguem de corpo e alma.

“Acreditem no que estão fazendo dentro de campo. 

“Não posso adaptar 11 esquemas diferentes para que atuem como faziam nos seus clubes.

“Estamos em busca da identidade do Atlético.

“E ela virá.

“Tenho sete estrangeiros e vários atletas com menos de um ano de clube.

“O que eu preciso, além da variações táticas para esse time é de união, um pelo outro dentro do campo. No olhar, um ajudando, fazendo mais quando alguém estiver sobrecarregado. Isso leva tempo e entrega de todos. Sem lugar para ego.

“Não vou me defender atrás de números. Mas nos dois últimos jogos, foram 50 finalizações.

Sim, 50 finalizações. Ninguém chuta tanto para o gol como o meu time.

Fora 35 escanteios a favor. Mais de 70% de posse de bola. Foram 59 cruzamentos ( contra o La Gaira), pode ser um exagero, mas o time buscou vencer e a falta de entrosamento ainda pesa, lógico.

“O time já mostra esse potencial ofensivo. E esse será o Atlético.

“Sei da minha responsabilidade, da cobrança, da pressão.

“E aviso: é apenas o início do trabalho.

“A pressão, a ansiedade por resultados e entrosamento de um time em formação são normais pelo investimento que o Atlético fez.

“Mas eu sei o que estou fazendo.

“Como foi no Santos, no Palmeiras, no próprio Atlético, quando chegamos a grandes decisões, conquistas. O começo é duro, mesmo.

“Mas nós estaremos prontos como time e como família. 

“Sei o que esperam do Atlético.”

Nada menos do que R4 72 milhões foram gastos só com Nacho Fernández

Nada menos do que R4 72 milhões foram gastos só com Nacho Fernández
Atlético Mineiro

Cuca, você tem nas mãos um time de R$ 180 milhões,que foi montado pelo e para o Sampaoli. E que precisa dar resultados imediatos. Como é trabalhar assim?

Vim para o Atlético, onde me sinto em casa, sabendo dessa pressão. Não é fácil. Eu, e todos os jogadores contratados, sabíamos o que iríamos encontrar. Mas não vou me prender ao dinheiro que cada um custou.

Eu preciso de todos os atletas empenhados em formar mais que um time.

Uma família.

Sei que foi o Sampaoli quem escolheu os jogadores e ele tem sua metodologia de trabalho, que é diferente da minha. Mas nessa hora, todos nós precisamos ser Atlético.

A responsabilidade é de todos. A grande maioria dos atletas é recem-chegada, ainda não tem nem um ano de Atlético. Nós temos de apressar essa identidade.

E o caminho é se doar. Mesmo sendo um jogador importante, perceber que muitas vezes há a necessidade de colaborar mesmo não entrando em campo.

Vou dar um exemplo. Tenho três grandes jogadores para duas posições. Tanto na direita como na esquerda do ataque. 

O que vou fazer? Escalar um. E os outros dois que não jogarem precisam entender e participar do grupo. Porque o nível é tão alto, que todos vão atuar. Só com essa compreensão e apoio, que o Atlético vai lutar pelo que todos esperam.

Hulk. R$ 1,3 milhão por mês. Jogador briga para ser titular no Atlético

Hulk. R$ 1,3 milhão por mês. Jogador briga para ser titular no Atlético
Atlético Mineiro

Mas Cuca, o time não está jogando bem. Decepcionando pelos jogadores que contratou.

Sim, como o Santos não jogou bem no ínicio do meu trabalho no ano passado. E decidiu a Libertadores. Como o Palmeiras que foi campeão em 2016. O Atlético, em 2013…. É início de trabalho.

Pode ser o preço que for, um time se forma da mesma maneira. Ganhando entrosamento, se adaptando a novo e esquemas táticos, maneiras de atuar. E com os jogadores passando a confiar um no outro.

Como você lida com as críticas, até com os boatos que você pediu demissão ontem…

Olha, Cosme, respeito todos. Mas faço questão de não ler nada, não ouvir nada, não assistir nada. Me foco no meu time, nos meus jogadores. No trabalho duro que preciso fazer. 

Mentira! Não pedi demissão!

Não houve pedido de demissão nenhum. Não sei a intenção das pessoas que divulgam isso. Não me interessa. E sei da minha responsabilidade como treinador do Atlético. Vim aqui para trabalhar duro. Isso é o que estou fazendo. Estou de corpo e alma para montar o time que acredito que vá disputar o que todos esperam.

Você acredita que a pressão é tanta porque, além do investimento milionário, Minas Gerais só tem um clube na Primeira Divisão. O Cruzeiro ficou estagnado na Série B?

Não. A cobrança no Atlético, por ser um dos maiores clubes do país, sempre será muito forte. É nossa. Todos precisam entender o que significa estar no Atlético. Não foi campeão da Libertadores por acaso.A expectativa que esse clube desperta, onde for. Independente de qualquer outro clube. 

Me cite, por favor, um problema específico deste seu Atlético.

Por exemplo, um pivô. Não tenho um jogador que possa prender a bola no ataque para a chegada dos meias, dos jogadores de lado. Então, sou obrigado a pedir para o Hulk, para o Vargas atuarem improvisados, como não estão acostumados. É preciso se sacrificar pelo time. Mesmo sabendo que o rendimento não será o mesmo que estão acostumados. É pela equipe. 

E eles estão empenhados, mas não é algo automático.

Não só eles, mas todos terão de desempenhar, em algum momento, uma função tática que não estão acostumados, pelo bem do time. Pela família, que estou te dizendo, que estou formando. Um pelo outro. E isso enquanto disputamos as competições, com tanta pressão. 

Eu sei o que estou fazendo. 

Porque já fiz e deu resultado.

Savarino. R$ 8,5 milhões pelo atacante. Também briga por uma posição no ataque

Savarino. R$ 8,5 milhões pelo atacante. Também briga por uma posição no ataque
Atlético Mineiro

59 cruzamentos na Venezuela é um exagero, Cuca…

Sim, concordo. Foi bom você tocar nesse ponto. Eu também quero troca de bola, infiltração, tabela, triangulações. Mas isso vem do entrosamento, do momento do jogo. E isso leva tempo, é preciso de treinos. Ninguém joga bem todas as partidas. 

O time está em formação e pegou um adversário que conseguiu encaixar a marcação. Temos potencial para muito mais, temos mesmo. Mas foi o que aconteceu na partida (contra o La Guaira). E insistimos nos cruzamentos, buscando vencer. Com coragem para atacar. Com o time postado à frente, buscando vencer todos os minutos do jogo.

Precisamos e vamos aprimorar. Buscar outras maneiras de atacar o adversário. Nosso potencial é muito maior.

Você vai priorizar a Libertadores e deixar o Mineiro de lado?

De jeito nenhum. Estamos na semifinal do Mineiro. E na fase de grupos da Libertadores. Não foi o resultado que queríamos na Venezuela, não foi. Mas temos elenco para jogar as duas competições para vencer. Queremos e vamos fazer por onde ir muito bem nos dois campeonatos.

Cuca e Sampaoli. Ele herdou um elenco milionário montado pelo e para o argentino

Cuca e Sampaoli. Ele herdou um elenco milionário montado pelo e para o argentino
Reprodução/Sportv

Ter nas mãos um time pensado, montado para e pelo Sampaoli é algo muito difícil? Já que vocês têm filosofia diferentes de jogo?

Vou ser direto. Em quase todos os times que assumi, não montei os elencos. Isso veio depois, em um segundo momento. O Sampaoli tem a sua maneira de trabalhar que é diferente da minha. 

Mas sei do grande potencial dos jogadores que estão no Atlético. E da condições que temos para formar um grande time. Aliás, já estamos formando. Mas eu preciso falar que o trabalho está no início?

O que está por trás dessa pressão é uma enorme expectativa pelo valor financeiro dos atletas que chegaram. Eu compreendo e repito: jogadores caros ou não precisam de entrosamento. 

Sei o que esperam do Atlético.

Essa situação atual me lembra o que vivi no Palmeiras de 2017. Os jogadores chegaram mas precisavam de entrosamento. É preciso entender de verdade o que acontece. 

Para montar um time é preciso passar por um momento de maturidade. 

O Atlético que todos querem, eu também quero.

Mas, na prática, tenho pouco mais de um mês de trabalho.

E já montei grupos que foram muito cobrados e deram a resposta.

Aqui mesmo no Atlético. (Foi campeão da Libertadores, em 2013).

Sei que no futebol não existe paciência para esperar um time ter harmonia, jogar como todos esperam. 

Mas não existe outro caminho. Seja com jogadores baratos ou milionários.

É preciso buscar o melhor esquema, onde os atletas se encaixem. Se dediquem.

E formar uma família.

Não existem titulares, reservas. 

Aqui no Atlético todos precisam esquecem do seu lado individual.

Acreditarem e se doarem.

Sabendo que vai jogar ou ficar no banco.

O caminho que aprendi a vencer é este.

Formar um time forte, competitivo, vibrante.

Mas que cada um olhe nos olhos do outro e confie.

E se ame como família…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *