De ex-bandeirinha para o Mundial: Edina Alves brilha na arbitragem

Em 2019, Edina Alves apitou a semifinal da última Copa do Mundo Feminina

Em 2019, Edina Alves apitou a semifinal da última Copa do Mundo Feminina
Peter Powell/EFE – 11.6.2019

Na última semana, a Fifa anunciou os árbitros que trabalharão no Mundial de Clubes, marcado para acontecer no Qatar entre os dias 1 e 11 de fevereiro. E o Brasil, que ainda pode ser representado por Palmeiras e Santos, que disputam a semifinal da Libertadores, já tem ao menos um representante no torneio.

Trata-se da árbitra Edina Alves, de 40 anos, que será a única mulher a apitar o torneio.

Nascida no Paraná, na pequena cidade de Goioerê, ela está envolvida com a arbitragem desde 2001, quando tinha apenas 21 anos. De início, ela se dividia entre a função de bandeirinha em jogos masculinos, e a de árbitra no feminino. Como auxiliar, ela já tinha uma carreira consolidada, quando decidiu deixar “tudo para trás” para recomeçar a carreira e se dedicar exclusivamente ao apito.

Edina se dedicava a uma empresa de eventos esportivos, mas decidiu largar tudo para seguir a paixão pelo futebol. Além dos cursos e aprendizados técnicos, há também uma enorme dedicação na academia. Ela faz parte do quadro de arbitragem da Fifa desde 2016.

Em 2019, ela fez história, ao se tornar a primeira árbitra a comandar um jogo da Série A do Brasileirão em 14 anos. Foi no dia 27 de maio de 2019, na vitória do CSA por 1 a 0 para cima do Goiás. No mesmo ano, ela apitou jogos importantes da Copa do Mundo Feminina, inclusive a semifinal entre Estados Unidos e Inglaterra.

“A nomeação do trio feminino liderado por Edina Alves Batista dá continuidade ao caminho iniciado na Copa do Mundo sub-17 de 2017, onde a árbitra suíça Esther Staubli arbitrou um jogo, seguida pela árbitra uruguaia Claudia Umpierrez, que arbitrou duas partidas no torneio de 2019, no Brasil”, escreveu a Fifa em seu site oficial ao confirmar a escolha.

Além dela, outra brasileira foi escalada para a competição. Trata-se da assistente Neuza Back, que integra o quadro de arbitragem da instituição desde 2014 e será bandeirinha no Mundial de clubes.

Site elege as 10 camisas mais bonitas de 2020. Veja as escolhidas

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *