Após caso Dener/Ederson, VP do Fla diz: ‘Ex-atletas não são qualificados para julgar condutas médicas’

Lance

Lance
Lance

Desde que Dener decidiu compartilhar o seu drama ao encerrar a carreira aos 23 anos, o assunto a respeito de “irresponsabilidades e negligências” em cirurgias feitas no Flamengo ganhou repercussão nas redes sociais. Ederson, outro ex-Fla, se solidarizou com o agora ex-zagueiro revelado no Ninho do Urubu e fez duras críticas ao departamento médico rubro-negro.

E, na noite desta segunda-feira, Rodrigo Dunshee, vice-presidente geral e jurídico do Flamengo, fez uma postagem pedindo valorização dos médicos e afirmou que “ex-atletas não são qualificados para julgar condutas médicas”.

Confira a postagem feita no Twitter:

– Cirurgias são atividade de risco inerente. Na justiça, um dos processos mais difíceis são os de erro médico, pela possibilidade natural de uma operação não atingir 100% de sucesso. Temos que valorizar nossos médicos, que, até prova em contrário, são heróis desse Brasil.

– Eles têm dado exemplos diários de sacrifício e devoção, e merecem respeito. Ex-atletas não são qualificados para julgar condutas médicas. Entendo algumas frustrações, mas culpar pessoas não é a melhor forma de aceitar as fatalidades da vida. Acusar é fácil, provar, não. Estou falando sem citar nomes ou processos. O lugar para discutir casos específicos é em processo judicial.

Natural de Nova Trento (SC), Dener, ao lado de Léo Duarte na zaga, foi campeão da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2016 pelo Flamengo, onde chegou em 2014 ainda com direitos econômicos ligados ao Figueirense, o seu primeiro clube formador.

No ano seguinte à conquista da Copinha, Dener passou a ser assolado com as consequências da grave lesão no joelho. Nos dois últimos anos, esteve no Figueirense.

Ederson, por sua vez, defendeu o Flamengo entre 2015 e 2018, anunciando sua aposentadoria um ano e meio após sua saída do Rubro-Negro, seu último clube, onde foi diagnosticado com um câncer no testículo, em 2017, e passou por uma cirurgia no joelho esquerdo, em 2016, cuja recuperação foi longa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *