Ailton exalta vitória do Fluminense e explica conversa no intervalo: ‘Não poderíamos abrir mão de jogar’

Lance

Lance
Lance

Depois de um primeiro tempo para se esquecer, o Fluminense mudou no intervalo e voltou com confiança. Foi com essa postura que o Tricolor empatou e virou o clássico contra o Flamengo, vencendo por 2 a 1, no Maracanã, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Após a partida, Ailton Ferraz, auxiliar técnico de Marcão, que assumiu o comando da equipe após o treinador testar positivo para Covid-19, explicou a conversa que teve com o time antes e durante o confronto.

> ATUAÇÕES – Marcos Felippe, Luccas Claro, Fred e Yago se destacam em vitória do Fluminense

– Sem dúvidas foram dois tempos distintos. No primeiro tempo nós fomos com uma proposta que acabamos conseguindo no segundo, que era jogar na linha média e procurar as infiltrações do Michel e do Wellington Silva. O Flamengo teve méritos também, porque colocou a linha alta, nos pressionou e ficamos acuados. No intervalo eu conversei com eles para forçar as infiltrações e que precisávamos jogar. Abrimos mão de jogar dentro da proposta de transição. E, com isso, o Flamengo foi bem no primeiro tempo. No segundo equilibramos – disse.

– Eu tinha falado na palestra que futebol se decide nos detalhes. Se nos preocupássemos com isso, sairíamos felizes. Foi isso que fizemos. Precisávamos jogar nosso futebol. Não poderíamos abrir mão de jogar. Foi o que fizemos. Achamos o gol no final. Mas agora temos que trabalhar porque já vem outra pedreira por aí com o Corinthians – completou.

VEJA A TABELA DO CAMPEONATO BRASILEIRO

A vitória dá mais confiança ao Fluminense na briga por uma vaga na Libertadores, o grande objetivo do Tricolor nesta temporada. A equipe agora chega aos 43 pontos e se mantém em sétimo lugar na tabela do Brasileirão. O gol da vitória saiu aos 48 minutos da segunda etapa, em felicidade de Yago Felipe ao se aproveitar de um erro de Filipe Luís.

– Sem dúvidas um gosto especial, ainda mais em cima do rival. Mas temos uma meta de Libertadores. Sabemos que sem meta não se sai do lugar e estamos trabalhando forte para conseguir isso. Hoje foi um caminho, começou hoje. O Marcos Seixas (preparador) foi muito feliz quando falou antes do jogo que começaríamos um caminho da vitória. O time soube sofrer, batalhou até o fim. Sangue nos olhos. Fomos premiados com o gol do Yago no final. Isso é a força do grupo. É importante todos estarem focados para conseguirmos o que fizemos hoje. É muito bom. Precisávamos ganhar de uma grande equipe para alavancar dentro da nossa meta. Quebramos um tabu muito gostoso, estamos felizes, mas a partir de amanhã tem que virar a página – afirmou Ailton.

Ailton Ferraz também explicou a decisão de deixar Marcos Paulo no banco de reservas. De acordo com o auxiliar, a escolha foi técnica por conta da estratégia e nada tem a ver com a decisão do Fluminense de tentar vender o jogador, que pode até sair de graça em julho.

– Decidimos montar um outro time. Optar pelo Michel mais aberto, no um contra um. Ele faz bastante infiltração. Foi opção nossa mesmo, não tem nada a ver com contrato. O Marcos estava feliz no banco apoiando. É a força do grupo, jogando ou não, o atleta tem que ser o mesmo. Não se faz contrato que tem que ser titular sempre. O grupo é muito unido – explicou.

Por fim, o auxiliar tranquilizou os torcedores sobre a situação de Fred, substituído no segundo tempo. O atacante chegou a colocar gelo na coxa, mas deixou o gramado apenas por cansaço.

– Não foi desconforto, nem nada. Ele já estava cansado. Ele achou melhor sair, já conhece o corpo dele. É experiente, correu além do que podia e tem se doado bastante. Falei para ele que o líder é isso aí, tem dado o exemplo para os meninos – finalizou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *