Preso um dos suspeitos de ameaçar vereador, em Brejetuba

Foto: Reprodução/Facebook

Folha Vitória

Folha Vitória
Folha Vitória

Antônio da Saúde disse que foi sequestrado e teve arma apontada para a cabeça

Está preso um dos suspeitos de ameaçar o vereador de Brejetuba, Antônio da Saúde (Cidadania). Ronivon Custodio Patrocínio, de 42 anos, foi detido na manhã desta quinta-feira (25), no município. Ele tinha um mandado de prisão em aberto por receptação. Segundo o delegado da cidade, Cláudio Rodrigues Araújo, não há dúvidas sobre a participação do suspeito no crime. 

“Cumprimos o mandado de outro crime para mantê-lo preso e pra ele não atrapalhar as investigações. Há certeza na participação. As investigações vão mostrar se foi extorsão qualificada ou extorsão mediante sequestro”, explicou o delegado, que está de férias, mas voltou a trabalhar justamente por conta da grande repercussão do caso na região. 

Claudio ainda informou que o suspeito estava pensando em se apresentar para negar o envolvimento dele no crime. Ao ser levado para a delegacia, Ronivon ficou em silêncio. “Ele começou a falar e quando viu que já tínhamos informações a mais e sabíamos que ele estava mentindo, preferiu ficar em silêncio”. 

Nesta sexta-feira (26), o suspeito será encaminhado para o presídio de Viana para cumprir prisão preventiva pelo crime de receptação. “Agora estou montando representação de prisão por esse último crime. Estou ouvindo pessoas, buscando imagens, e já até localizamos o carro que ele usou para cometer o crime”, completou o delegado. O veículo será levado para a delegacia e passará por perícia. 

A polícia vai realizar diligências durante toda esta quinta-feira para avançar nas investigações. A reportagem ainda não conseguiu contato com a defesa do suspeito.

Entenda o caso 

O vereador de Brejetuba Antônio Marcos Bonifácio (Cidadania), mais conhecido como Antônio da Saúde, contou à polícia que foi sequestrado na última quarta-feira (17), no município. O caso teria ocorrido enquanto ele se dirigia à Câmara para uma reunião. Ele teria sido levado por dois homens para uma região rural e, sob ameaças, teria sido obrigado a assinar um documento renunciando ao cargo de vereador. Depois, foi deixado em Viana.

“Foi uma grande tortura psicológica, ele estava com arma apontada pra cabeça o tempo todo. Ainda tiveram a audácia de mandar ele ligar pra Câmara e confirmar que enviaria alguém para entregar o documento no local comunicando a renúncia”, informou fonte que não quis se identificar. 

Os vereadores que aguardavam Antônio da Saúde na Câmara desconfiaram da situação e pediram ajuda ao deputado estadual Hudson Leal (Republicanos), que é amigo do vereador. O deputado fez contato com a Promotoria de Justiça que atende a região e a orientação foi para que Antônio procurasse a polícia para registrar um boletim de ocorrência, o que foi feito na última sexta-feira (19).

Abalado, o vereador não quis conversar com a reportagem. Na última terça-feira (23) ele esteve, junto com Hudson, na Secretaria de Estado da Segurança Pública e conversou com o secretário Alexandre Ramalho. “Conversamos sobre o sequestro relâmpago e tortura sofridos pelo vereador há alguns dias. Agradeço a atenção do secretário, que prontamente atendeu as nossas solicitações”, disse Hudson.

Por meio de nota, a Secretaria de Segurança informou que acompanha a situação e o desenrolar das investigações. 

O Ministério Público disse que instaurou procedimento para apurar os fatos. “O referido vereador prestou informações em relação caso. Conforme boletim de ocorrência registrado por ele na Polícia Civil, ele foi coagido a renunciar ao mandato sob ameaças de morte. O MP-ES já instaurou procedimento para apurar os fatos e vai realizar diligências e colher depoimento de testemunhas e suspeitos. O MP-ES também solicitou à Justiça medida cautelar prevista no art. 319, inciso III do Código de Processo Penal e pedido de escolta ao vereador”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *